19 maio, 2016

A Desigualdade em Palavras

Em 1995 os pesquisadores Betty Hart e Todd Risley¹ descobriram uma relação entre a renda das famílias e o uso da linguagem no ambiente doméstico: crianças de famílias de baixa renda ouvem menos de um terço de palavras por hora do que crianças de famílias de alta renda. Isso corresponde a um déficit de 30 milhões de palavras para uma criança de 3 anos de idade². Mais da metade (54%) dessas crianças ouvem 8.000 palavras por dia, um número muito menor de palavras do que o necessário para o desenvolvimento do cérebro e cerca de 50% do que é recomendado. 
A pesquisa indicou que o resultado dessa lacuna tem relação direta no vocabulário da criança aos 3 anos e tem impacto profundo sobre sua competência literária, o sucesso na escola (bem como na universidade) e na vida adulta. 

Essa descoberta em um contexto persistente reflete diretamente nos resultados educacionais. Apenas 52% das crianças tem proficiência na leitura até a quarta série. Nos primeiros anos de vida, o desenvolvimento do cérebro é mais acentuado e as crianças com mais estímulos alcançam melhores resultados na escola. Assim, considerando que crianças das famílias mais pobres escutam menos da metade das palavras necessárias para o desenvolvimento da fala e da linguagem, percebemos que as desigualdades entre os menos favorecidos e os mais favorecidos tem raízes profundas e muito variadas. 


O desempenho escolar e consequentemente o acesso às melhores universidades fica limitado a um grupo de privilegiados que desde o berço tiveram oportunidades que grande parcela da população não teve. Apesar desse estudo ter sido realizado nos Estados Unidos, desperta a nossa atenção ao considerar que aqui no Brasil podemos ter a mesma realidade. É evidente, nesse contexto, que políticas públicas e programas sociais devem considerar investimentos na primeira infância para um desenvolvimento social mais igualitário.

Para saber mais:
http://www.providencetalks.org/

Fontes:
¹ PPSD Office of Research, Planning and Accountability, 2011 as cited by the Providence Children and Youth Cabinet in their report: “Education Providence- Action for Change, Baseline Report October 2012;
² Thirty Million Words “Building a Child’s Brain” by Dana Suskind, MD: ISBN 978-0525-95487-3

18 maio, 2016

Estou de volta!

Depois de um tempo em que essa janela esteve sem novas paisagens, estou aqui de volta. Vou me esforçar ao máximo para criar aqui um espaço para compartilhar coisas que me parecem interessantes, urgentes, emergentes, necessárias e divertidas. Três anos se passaram e a moça da janela agora tem mais maturidade do que a moça que deixou de escrever semanalmente nesse blog. 

Aqueles que ainda se interessarem pelos blogs e pelo conteúdo deste, fiquem a vontade para voltar.

Até a próxima!

23 maio, 2013

A primeira página da internet foi, surpreendentemente, perdida.


Dada a ubiquidade da World Wide Web, você é forçado a acreditar que tudo está online. Mas tem uma importante pedaço da história da própria internet que não pode ser encontrado em nenhum mecanismo de busca: o primeiro Web Site.

Um time de pesquisadores do laboratório CERN, onde a World Wide Web foi criada em 1989, está reunindo esforços para encontrar o primeiro Web Site criado pelo cientista da computação Tim Berners-Lee que procurava na época com sua invenção resolver um problema de comunicação interna do próprio CERN, permitindo assim que pesquisadores de várias áreas tivessem um acesso a um documento comunitário que permitisse que as variadas pesquisas desenvolvidas pudessem ser compartilhadas através de uma rede de colaboração entre os cientistas, independente do equipamento ou sistema operacional utilizado por eles. 

Leslie Berlin, historiador da Universidade de Stanford, responsável pelo Arquivo do Vale do Silício aponta que preservar a história da computação é um desafio, tendo em vista que a computação sempre está com os olhos voltados para o futuro e dificilmente se tem tempo para olhar para trás.

A única cópia que se tem deste primeiro Web Site foi feita em um disquete pelo próprio Tim Berners-Lee, mas não é a versão original e sim um back-up datado de 1992. O atual responsável pelo Web Site do CERN, Dan Noyes acredita que esse original pode ser encontrado em um velho disco da época, perdido em uma conferência realizada na Califórnia em 1990. 





14 maio, 2013

Oportunidade




Somos convidados todos os dias a mudar a nossa vida. Às vezes nem nos damos conta da oportunidade que recebemos, mas a certeza é que devemos nos preparar para percebê-la e promovermos a mudança que tanto desejamos. Sejamos fortes!

06 agosto, 2012

Imagem do dia!



"A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal."
(Raul Seixas)

02 agosto, 2012

A vaidade de Narciso

O pobre Narciso pereceu hipnotizado diante de seu reflexo. A beleza de sua imagem despertou a vaidade adormecida nele. Assim como aconteceu com o mitológico Narciso, a vaidade humana compromete as mais belas qualidades das pessoas.

Narciso (1594-1596), por Caravaggio.

13 junho, 2012

Dica de Site. Lindo!

O australiano Alex Cherney é um astrônomo amador e criou o site Terrastro que tem uma série de imagens bacanas da nossa galáxia, a Via Láctea. Além disso, ele criou uma apresentação com um mapa interativo do Observatório Parkes onde está instalado o rádio-telescópio conhecido como "The Big Dish" (o grande prato). Esse rádio-telescópio foi um dos vários ao redor do mundo utilizados para transmitir ao vivo imagens da chegada à Lua da Apollo 11 em 20 de julho de 1969. Vale a pena olhar essa animação, que permite visualizar o terreno 360° e inclusive o céu com vários pontos clicáveis. A foto abaixo é uma representação do que foi feito com um belo efeito de planeta do Pequeno Príncipe. Clique na imagem para ir direto para a apresentação. Um show!


12 junho, 2012

Injustiças da vida

Se os meus quilos extra sumissem com a mesma facilidade do meu dinheiro, eu era assim ó:


06 junho, 2012

Cachoeira Feelings


Você já jogou no bicho? Já jogou em alguma máquina caça-níqueis? Então você é cúmplice do Cachoeira... Você contribuiu (mesmo que com uma parcela ínfima) com todo esse esquema. Já parou para pensar nisso?